12/04/1989 – Brasil 2 x 0 Paraguai

Washington disputa jogada com um paraguaio na vitória brasileira;
Crédito: soccernostalgia.blogspot.com.br/Revista-Placar
Ficha Tecnica
Brasil 2 x 0 Paraguai
International Friendly: Brazil 2 – 0 Paraguay
Ficha Técnica
• Competição (Tournament): Amistoso Oficial
• Data (Date): Quarta-Feira, 12 de Abril de 1989
• Estádio (Stadium): Governador Alberto Tavares Silva, “Albertão”, Teresina/PI
• Público (Attendance): 59.844 expectadores presentes
• Árbitro (Referee): José de Assis Aragão/SP (Brasil / Brazil)
• Assistente 1 (Assistant Referee 1): Sem Registro (No Registry)
• Assistente 2 (Assistant Referee 2): Sem Registro (No Registry)
• Quarto Árbitro (Fourth Official): Sem Registro (No Registry)
Advertências | Cautions | Sent Off Advertências | Cautions | Sent Off
José Domingo Riveros
Catalino Rivarola
Gols | Goals | Goles Gols | Goals | Goles
1-0 Cristóvão, aos 35’/2º
2-0 Vivinho, aos 42’/2º
Brasil – Brazil Paraguai – Paraguay
GO
DF
DF
DF
DF
MC
MC
MC
AT
AT
AT
01 Acácio
02 Jorginho ©
03 Aldair
04 André Cruz
06 Eduardo
05 Bernardo
08 Bismarck
10 Bobô (Cristóvão)
07 Bebeto
09 Washington (Vivinho)
11 Zinho (João Paulo)
GO
DF
DF
DF
DF
MC
MC
MC
MC
AT
AT
Roberto “Gato” Fernández
Virginio Cáceres
Luis Caballero
Catalino Rivarola
Justo Jacquet (H. R. Viera)
José Domingo Riveros (A. Chamorro)
Julio César Franco
Ramón Escobar (G. Román)
Buenaventura Ferreira
Félix Brítez Román (A. Rojas)
Eumelio Palacios
Coach: Sebastião Lazaroni Coach: Eduardo Luján Manera
16
15
17
Vivinho, aos 21’/2º
Cristóvão Borges, aos 29’/2º
João Paulo Donizetti, aos 29’/2º
DF
MC
MC
AT
Hugo Ruiz Rivera, aos 26’/2º
Gabino Román, aos 26’/2º
Augusto Chamorro, aos 32’/2º
Aristides Rojas, aos 41’/2º
Tempo Regulamentar Prorrogação Penalidades
1º T 2º T Final 1º T 2º T Final Normal Altern Final
0 x 0 2 x 0 2 x 0
→ Amistoso de preparação do Brasil visando a Copa América;
→ Brasil: Camisa Amarela, Calção Azul e Meias Brancas (Topper);
→ Paraguai: Camisa listrada em Vermelho-Branco, Calção Branco e Meias Brancas;
→ Estreantes na seleção Brasileira: Bismarck, Bobô e Cristóvão;
→ Assisti esse jogo, ao vivo, pela TV Verdes Mares, canal 10, afiliadad da Globo;

Crônica do Jogo:

O dia 12 de abril de 1989 entrou para a história como a primeira vez que a Seleção Brasileira de Futebol atuou em Teresina. Para isso foram escolhidos o estádio Albertão (O maior do estado) para ser o palco da partida e o Paraguai como adversário.

A vinda da seleção para a capital piauiense foi facilitada pelo governador Alberto Silva, em sua segunda e conturbada gestão administrativa, e pelo então vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para a Região Norte, o piauiense Alfredo Alberto Leal Nunes.

A partida serviria como fase de preparação para dois importantes torneios em 1989: a Copa América – que depois de 40 anos voltaria a ser realizada no Brasil –, e as Eliminatórias para a Copa do Mundo da Itália (1990).

Além disso, uma vitória contra o Paraguai daria tranquilidade ao técnico Sebastião Lazaroni. Isso porque nos três jogos anteriores (Brasil 1 x 0 Equador, Brasil 1 x 2 Resto do Mundo, e Brasil 3 x 1 Al-Ahli Saud, da Arábia Saudita) a seleção havia jogado mal, não despertando confiança na torcida e principalmente nos cronistas esportivos que consideravam estranho o esquema tático do treinador.

Os jogadores foram recepcionados de maneira calorosa pelos teresinenses. Alguns chegaram a fazer convocação até por carro de som na cidade para presença massiva da torcida no estádio. Algo totalmente dispensável uma vez que praticamente todo o Piauí já sabia. Uma prova disso é que, em virtude do ineditismo do evento, os ingressos se esgotaram rapidamente.

Para a arbitragem estava escalado o polêmico José de Assis Aragão. Na final do Brasileiro de 1980, expulsou três jogadores do Atlético Mineiro fato que seria decisivo no título do Flamengo naquele ano. Três anos depois, no Campeonato Paulista, marcou meio sem querer o gol de empate do Palmeiras contra o Santos ao desviar o chute que nitidamente iria para fora do meia palmeirense Jorginho. Aragão encerraria sua carreira nesse mesmo ano de 1989.

Na disputa entre brasileiros e paraguaios, porém, nem árbitro e nem os auxiliares se envolveram em polêmicas. A partida seguiu tranquila no apito.

O que faltou mesmo foram os gols no 1º tempo. Terminou empatado – zero a zero – alimentando críticas prematuras ao trabalho de Lazaroni. Mesmo colocando em campo Bebeto, na época jogando em sua melhor fase pelo Flamengo, e Bobô, campeão do Campeonato Brasileiro de 1988 pelo Bahia e recém-contratado pelo São Paulo, a Seleção não conseguia entrar em sintonia com o esquema proposto pelo técnico.

O Paraguai também deu trabalho à equipe canarinho. Era uma seleção com caras novas, pois os clubes paraguaios (Olimpia e Sol de América) que estavam disputando a Taça Libertadores não cederam seus jogadores. Entretanto, o time que veio a Teresina contava com uma base de atletas experientes que atuaram na Copa do Mundo do México, em 1986, como o goleiro Roberto “Gato” Fernández (Campeão da Copa América 1979) e o zagueiro Virginio Cáceres. Jogando mais fechado e com entradas bruscas nos jogadores brasileiros, os paraguaios esperavam arrancar um empate.

Os gols só vieram mesmo no finalzinho do 2º tempo. Dois de cabeça. O primeiro de Cristóvão Borges, do Grêmio, e o segundo de Vivinho, do Vasco da Gama, dois jogadores que saíram da reserva para serem titulares no 2º tempo. O resultado final fez o técnico Lazaroni chorar e desabafar para o jornalista Luciano Borges, enviado especial da Folha de S. Paulo a Teresina para cobrir o jogo: “Eu me emocionei porque venho vivendo algumas pressões […] e muitos dizem que o trabalho não é sério”

Com quase 60 mil torcedores, Brasil 2 x 0 Paraguai é o segundo maior público futebolístico do estádio Albertão sendo superado apenas pela partida Tiradentes 1 x 3 Flamengo carioca, válida pela Taça de Ouro (Campeonato Brasileiro) de 1983.

Para se ter uma ideia da quantidade de gente que foi ver a seleção, a TV Clube registrou na época, em imagens brutas de arquivo em som ambiente, uma tomada aérea do estádio mostrando as dimensões de sua lotação no dia. Impossível não verificar e lembrar da antiga e hoje desativada pista de kart. Além do próprio Albertão vergonhosamente inacabado, em estado tão lastimável como o que se encontra no presente. (Fonte: Teresina Antiga)


.:: Deixe um Comentário ::.
Se você gostou desse post ou do site indique para seus amigo.
Deixe uma crítica ou uma sugestão.

Anúncios

Deixe um Comentário, uma opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: