Archive for the ‘Elencos Copa do Mundo’ Category

Elenco da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2010


.:: 19ª Copa do Mundo, África 2010 ::.

A Copa do Mundo FIFA de 2010 foi a décima nona edição da Copa do Mundo FIFA de Futebol, que ocorreu de 11 de junho até 11 de julho. O evento foi sediado na África do Sul, tendo partidas realizadas nas cidades de Bloemfontein, Cidade do Cabo, Durban, Nelspruit, Polokwane, Porto Elizabeth, Pretória, Rustemburgo e Joanesburgo. Trinta e duas selecções nacionais foram qualificadas para participar desta edição do campeonato, sendo 13 delas europeias (Espanha, Holanda, Itália, Alemanha, Inglaterra, Dinamarca, França, Grécia, Portugal, Sérvia, Eslováquia, Eslovênia e Suíça), 8 americanas (Brasil, Argentina, Honduras, México, Estados Unidos, Chile, Paraguai e Uruguai), 6 africanas (África do Sul, Argélia, Camarões, Costa do Marfim, Gana e Nigéria), 3 asiáticas (Japão, Coreia do Sul e Coreia do Norte) e 2 oceânicas (Austrália e Nova Zelândia).

As seleções da Sérvia e da Eslováquia faziam sua primeira participação na competição como países independentes. A edição teve apenas uma grande goleada: Portugal 7 a 0 Coreia do Norte. Porém, também contou com goleadas da Seleção Alemã sobre grandes seleções: 4 a 1 na Inglaterra e 4 a 0 na Argentina. Os melhores jogadores do mundo do ano anterior não tiveram um bom retrospecto na copa, dando lugar para outros bons jogadores aparecerem: David Villa, Xabi Alonso e Andrés Iniesta da Espanha, Bastian Schweinsteiger, Mesut Özil e Thomas Müller da Alemanha, Diego Forlán do Uruguai, Wesley Sneijder e Arjen Robben da Holanda.

A grande campeã da Copa foi a Seleção Espanhola, que havia conquistado a Eurocopa de 2008 em cima da Alemanha, ostentado o 3º lugar na Copa das Confederações de 2009 e era a 2ª colocada dentre todas as seleções no Ranking Mundial da FIFA. No elenco, havia Iker Casillas, eleito melhor goleiro do mundo em 2009 e 2008, Xavi Hernández e Andrés Iniesta, respectivamente 3º e 5º melhores jogadores do mundo em 2009, Fernando Torres, David Villa e Cesc Fàbregas, respectivamente os 3º, 10º e 15º melhores jogadores do mundo em 2008. No caminho até a final, a Espanha eliminou Portugal, Paraguai e Alemanha nas fases finais.

A vice-campeã foi a Holanda, que havia eliminado o Uruguai, o Brasil e a Eslováquia. A partida foi realizada em 11 de julho às 20h30min, no Soccer City, em Joanesburgo, com um público estimado em 84 490 pessoas. Sob o apito do árbitro inglês Howard Webb, a partida terminou o primeiro e o segundo tempos sem gols. No segundo tempo da prorrogação, aos 116 minutos de jogo, faltando 4 minutos para levar a decisão para a disputa de pênaltis, Andrés Iniesta marcou o gol da vitória e do título espanhol; o capitão Iker Casillas levantou a taça do primeiro título da Espanha em Copas do Mundo, finalizando a sequência de títulos conquistados pela seleção.. (Fonte: wikipedia.org)


.:: Brasil, 6º Colocado ::.
Uma das formações da seleção brasileira na Copa do Mundo de 2010;
Em pé: Lúcio, Júlio César, Juan Silveira, Gilberto Silva e Maicon Sisenando;
Agachados: Luis Fabiano, Michel Bastos, Robinho, Elano, Kaká e Felipe Melo;
Crédito: www.zimbio.com/Martin Rose/Getty Images
Elenco da Seleção Brasileira
Atleta Alcunha Clube J G P
GO 01 Júlio César Soares Espíndola Júlio César Internazionale (ITA) 5 4 2
GO 12 Heurelho da Silva Gomes Gomes Tottenham (ING) 0 0 1
GO 22 Doniéber Alexander Marangão Doni AS Roma (ITA) 0 0 1
LD 02 Maicon Douglas Sisenando Maicon Internazionale (ITA) 5 1 1
LD 13 Daniel Alves da Silva Daniel Alves Barcelona (ESP) 5 0 1
ZA 03 Lucimar Ferreira da Silva Lúcio Internazionale (ITA) 5 0 3
ZA 04 Juan Silveira dos Santos Juan AS Roma (ITA) 5 1 2
ZA 14 Ânderson Luis da Silva Luisão SL Benfica (POR) 0 0 2
ZA 15 Thiago Emiliano da Silva Thiago Silva AC Milan (ITA) 0 0 1
LE 06 Michel Fernandes Bastos Michel Bastos Olympique Lyon (FRA) 5 0 1
LE 16 Gilberto da Silva Melo Gilberto Melo Cruzeiro/MG (BRA) 2 0 2
MV 05 Felipe Melo de Carvalho Felipe Melo Juventus FC (ITA) 4 0 1
MV 07 Elano Ralph Blumer Elano Galatasaray SK (TUR) 2 2 1
MV 08 Gilberto Aparecido da Silva Gilberto Silva Panathinaikos (GRE) 5 0 3
MV 17 Josué Anunciado de Oliveira Josué VfL Wolfsburg (ALE) 1 0 1
MV 18 Ramires Santos do Nascimento Ramires SL Benfica (POR) 4 0 1
MV 20 José Kléberson Pereira Kléberson CR Flamengo/RJ (BRA) 1 0 2
MA 10 Ricardo Izecson Santos Leite Kaká Real Madrid CF (ESP) 4 0 3
MA 19 Júlio César Baptista Júlio Baptista AS Roma (ITA) 1 0 1
AT 09 Luis Fabiano Clemente Luis Fabiano Sevilla FC (ESP) 5 3 1
AT 11 Róbson de Sousa Robinho FC Santos/SP (BRA) 4 2 2
AT 21 Nilmar Honorato da Silva Nilmar Villarreal CF (ESP) 4 0 1
AT 23 Edinaldo Batista Libânio Grafite VfL Wolfsburg (ALE) 1 0 1
Coach: Carlos Caetano Bledorn Verri Dunga Confederação Brasileira de Futebol
# Elano se machucou contra a Costa do Marfim e ficou fora do restante da copa.
# Página Oficial da FIFA: www.fifa.com/worldcup/southafrica2010/brazil
# Referência: wikipedia.org/2010-word-cup/squad

.:: Campanha Brasileira ::.
Primeira Fase
15 de Junho, 15:30 hs – Ellis Park Stadium, Joanesburgo – 54.331 pag
Brasil – Brazil 2 x 1 Coréia do Norte – North Korea
Maicon, 55′
Elano, 72′
Jogo 1 Ji Yun-Nam, 89′
20 de Junho, 15:30 hs – Soccer City, Johannesburg – 84.455 pag
Brasil – Brazil 3 x 1 Costa do Marfim – Ivory Coast
Luís Fabiano, 25′
Luís Fabiano, 50′
Elano, 62′
Jogo 2 Didier Drogba (cab), 79′
25 de Junho, 11:00 hs – Moses Mabhida Stadium, Durban – 62.712 pag
Portugal 0 x 0 Brasil – Brazil
Jogo 3
Oitavas de Final
28 de Junho, 15:30 hs – Ellis Park Stadium, Johannesburg – 54.096 pag
Brasil – Brazil 3 x 0 Chile
Juan Silveira, 35′
Luís Fabiano, 38′
Robinho, 59′
Jogo 4
Quartas de Final
2 de Julho, 11:00 hs – Nelson Mandela Bay, Port Elizabeth – 40.186 pag
Holanda – Netherlands 2 x 1 Brasil – Brazil
Wesley Sneijder, 53′
Wesley Sneijder (cab), 68′
Jogo 5 Robinho, 10′
# Para acessar as escalações das equipes, por favor, clique na palavra JOGO.
.:: Os Atletas – The Players ::.
1 Júlio César 2 Maicon 3 Lúcio 4 Juan 5 Felipe Melo
6 Michel Bastos 7 Elano 8 Gilberto Silva 9 Luis Fabiano 10 Kaká
11 Robinho 12 Gomes 13 Daniel Alves 14 Luisão 15 Thiago Silva
16 Gilberto 17 Josué 18 Ramires 19 Júlio Baptista 20 Kléberson
21 Nilmar 22 Doni 23 Grafite Dunga Uniforme

.:: Deixe um Comentário ::.
Se você gostou desse post ou do site indique para seus amigo.
Deixe uma crítica ou uma sugestão.

Elenco da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2006


.:: 18ª Copa do Mundo, Alemanha 2006 ::.

A Copa do Mundo FIFA de 2006 realizou-se na Alemanha. Foi a décima oitava edição da Copa do Mundo FIFA de Futebol, vencida pela Itália. Pela segunda vez a Alemanha foi o país-sede (a primeira vez foi no ano de 1974-Alemanha Ocidental), e o único pré-classificado. Pela primeira vez na história do campeonato, o campeão do torneio anterior (no caso, o Brasil) precisou disputar as eliminatórias para poder defender o direito de participar no torneio. Trinta e dois países participaram na Copa de 2006, cuja final foi no dia 9 de Julho.2

A decisão de confiar à Alemanha a organização do torneio foi controversa, já que se esperava que o campeonato ocorresse na África do Sul. Os outros países candidatos à organização eram Inglaterra, Marrocos e Brasil. Desde que a escolha foi feita, o órgão que controla mundialmente o esporte, a FIFA, afirmou publicamente sua intenção de rotacionar o país-sede entre suas confederações integrantes. A sede para a Copa seguinte foi escolhida logo em seguida: à África do Sul atribuiram-se os jogos da Copa do Mundo de 2010.4 Como preparação para a competição, a FIFA organizou a Copa das Confederações 2005 na Alemanha, torneio ganho pelo Brasil. A Copa do Mundo de 2014 será realizada na América do Sul e o Brasil foi o país escolhido para sediar esta Copa.

De acordo com os resultados obtidos nas eliminatórias, os 32 países classificados foram: Alemanha (previamente classificada como país sede), Argentina, Brasil, Paraguai, Equador, México, Estados Unidos da América, Trinidad e Tobago, Costa Rica, Portugal, Espanha, Inglaterra, França, Itália, Suíça, Suécia, República Tcheca, Ucrânia, Sérvia e Montenegro, Países Baixos, Croácia, Polônia, Togo, Gana, Angola, Costa do Marfim, Tunísia, Japão, Arábia Saudita, Irã, Coreia do Sul e Austrália.

Pela primeira vez na história da Copa do Mundo, três países lusófonos estiveram presentes (Portugal, Angola e Brasil). E foi a primeira vez, também, que a Concacaf teve quatro representantes (EUA, México, Costa Rica e Trinidad e Tobago), o mesmo número de América do Sul e Ásia. (wikipedia.org)

Muito Oba-Oba, pouco Futebol

Ronaldinho Gaúcho, Kaká, Ronaldo e Adriano. O Brasil chegou à Copa do Mundo com os holofotes no ‘quadrado mágico’. As esperanças ofensivas da seleção na Alemanha ruíram após uma preparação contestada. E quem brilhou mesmo foram os zagueiros. O time sofreu apenas dois gols em cinco jogos, a segunda melhor marca do país na história da competição. Entretanto, o desempenho defensivo não foi capaz de evitar uma campanha decepcionante na Copa do Mundo de 2006.

Eliminado nas quartas de final, após derrota para a França por 1 a 0 e um verdadeiro show de Zinedine Zidane, que se consolidou como um dos maiores carrascos do futebol brasileiro, a seleção de Carlos Alberto Parreira colecionou críticas. Desde a preparação festiva em Weggis, pequena cidade da Suíça, até a estratégia tática adotada pelo treinador para a competição.

Mais do que a derrota para os franceses, a baixa produtividade do time durante toda a Copa do Mundo frustrou a todos. Com nomes consagrados – além do famoso e falado ‘quadrado mágico’ – a seleção teve dificuldades na estreia contra a Croácia, em que venceu por 1 a 0. O desempenho no confronto seguinte também deixou a desejar, com pouca criatividade e muitos sustos e sofrimento para vencer a Austrália por 2 a 0.

Somente no último jogo da primeira fase, contra o Japão, a equipe de Parreira mostrou bom futebol. Em um jogo em que o Brasil entrou com cinco mudanças, o ‘mistão’ brasileiro ensaiou o show que o time tido como titular nem esboçou nas partidas anteriores, apesar de deixar alguns espaços na defesa.

Nas oitavas de final, o Brasil venceu Gana por 3 a 0. Contra os africanos, Parreira retomou a escalação pragmática dos dois primeiros jogos e o ‘show de resultados’ deu certo, apesar de alguns sustos e de um gol impedido. Além da vitória, a seleção estabeleceu marcas históricas: chegou a 201 gols em Copas; Ronaldo se isolou como maior artilheiro da história; Cafu fez o 19º jogo em Mundiais, recorde brasileiro.

O jogo seguinte, entretanto, marcou a despedida melancólica do Brasil e desencadeou uma tempestade de críticas à preparação dos jogadores. A primeira etapa de treinos acabou se transformando em uma grande ‘festa’, com direito a invasão de torcedores ao campo de treinamento, relatos de abusos na noite e exageros por parte de alguns atletas. Parreira foi alvo de contestações por ter sido permissivo com as estrelas brasileiras e por demorar a mexer na equipe durante os jogos e, principalmente, na derrota para a França.

Como ponto positivo, o Brasil deixou a Copa do Mundo com uma média de apenas 0,40 gols sofridos por partida. No Mundial de 1986, a melhor da seleção nesse quesito, a média foi de 0,20 por jogo. Em 1994, nos Estados Unidos, quando o time também dirigido por Carlos Alberto Parreira conquistou o tetracampeonato em um jogo caracterizado pelo sistema defensivo, a equipe levou três gols em sete partidas, o que dá uma média de 0,43 gol por jogo. (Fonte: uol.com.br)


.:: Brasil – Brazil ::.
Uma das Formações da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2006
Em pé: Dida, Lucio, Juan Silveira, Emerson Rosa, Adriano Imperador e Cafu;
Agachados: Ronaldinho Gaúcho, Roberto Carlos, Zé Roberto, Kaká e Ronaldo Fenômeno.
Foto (Photo): www.futebolemfotos.blogspot.com.br
Elenco da Seleção Brasileira
Atleta Alcunha Clube J G P
01 GO Nélson de Jesus Silva Dida AC Milan (ITA) 5 2 3
02 LD Marcos Evangelista de Moraes Cafu AC Milan (ITA) 4 0 4
03 ZA Lucimar Ferreira da Silva Lúcio Bayern München (ALE) 5 0 2
04 ZA Juan Silveira dos Santos Juan Bayer Leverkusen (ALE) 5 0 1
05 MV Émerson Ferreira da Rosa Émerson Juventus FC (ITA) 3 0 2
06 LE Roberto Carlos da Silva Rocha Roberto Carlos Real Madrid CF (ESP) 4 0 3
07 AT Adriano Leite Ribeiro Adriano Internazionale (ITA) 4 2 1
08 MA Ricardo Izecson dos Santos Leite Kaká AC Milan (ITA) 5 1 2
09 AT Ronaldo Luís Nazário de Lima Ronaldo Real Madrid CF (ESP) 5 3 4
10 AT Ronaldo de Assis Moreira Ronaldinho Barcelona FC (ESP) 5 0 2
11 MV José Roberto da Silva Jr. Zé Roberto Bayern München (ALE) 5 1 1
12 GO Rogério Mücke Ceni Rogério Ceni São Paulo FC (BRA) 1 0 2
13 LD Cícero João de Cézare Cicinho Real Madrid CF (ESP) 2 0 1
14 ZA Ânderson Luís da Silva Luisão SL Benfica (POR) 0 0 1
15 ZA Cristiano Marques Lima Cris Olympique Lyon (FRA) 0 0 1
16 LE Gilberto da Silva Melo Gilberto Melo Hertha BSC (ALE) 1 1 1
17 MV Gilberto Aparecido da Silva Gilberto Silva Arsenal FC (ING) 4 0 2
18 MV Carlos Luciano da Silva Mineiro São Paulo/SP (BRA) 0 0 1
19 MA Antônio Augusto Ribeiro Reis Jr. Juninho Olympique Lyon (FRA) 3 1 1
20 MV Ricardo Luis Pozzi Rodrigues Ricardinho Corinthians/SP (BRA) 2 0 2
21 AT Frederico Chaves Guedes Fred Olympique Lyon (FRA) 1 1 1
22 GO Júlio César Soares Espíndola Júlio César Internazionale (ITA) 0 0 1
23 AT Róbson de Souza Robinho Real Madrid CF (ESP) 3 0 1
Técnico: Carlos Alberto Gomes Parreira Parreira Confederação Brasileira de Futebol
# Capitão da Seleção Brasilrita: Marcos Evangelista de Moraes, Cafu.
# Referências: www.wikipedia.org/2006-FIFA-World-Cup/squads/Brazil
# Ronaldo tornou-se o “Maior Goleador” de todas as copas do mundo com 15 marcados.

.:: Campanha ::.
Primeira Fase – Primeira Rodada
Terça-Feira, 13 de Junho , 17:00 hs – Olympiastadion, em Berlin – 72.000 pag
Brasil 1 x 0 Croácia
Kaká, aos 43′/1º Jogo 1
Primeira Fase – Segunda Rodada
Quarta-Feira, 18 de Junho, 14:00 hs – Signal Iduna Park, em Dortmund – 66.000 pag
Brasil 2 x 0 Austrália
Adriano, aos 3′/2º
Fred, aos 44′/2º
Jogo 2
Primeira Fase – Terceira Rodada
Domingo, 22 de Junho, 17:00 hs – Signal Iduna Park, em Dortmund – 65.000 pag
Japão 1 x 4 Brasil
Keiji Tamada, aos 33′/1º Jogo 3 Ronaldo (cab), aos 45′/1º
Juninho Pernambucano, 7′/2º
Gilberto Melo, aos 13′/2º
Ronaldo, aos 35′/2º
Oitavas de Final
Sexta-Feira, 27 de Junho, 13:00 hs – Signal Iduna Park, em Dortmund – 65.000 pag
Brasil 3 x 0 Gana
Ronaldo, aos 4′/1º
Adriano, aos 45′/1º
Zé Roberto, aos 39′/2º’
Jogo 4
Quartas de Final
Terça-Feira, 1 de Julho, 17:00 hs – Commerzbank Arena, em Stuttgart – 48.000 pag
Brasil 0 x 1 França
Jogo 5 Thierry Henry (cab), aos 11′/2º

.:: Deixe um Comentário ::.
Se você gostou desse post ou do site indique para seus amigo.
Deixe uma crítica ou uma sugestão.

Elenco da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2002


.:: Copa do Mundo – Coréia/Japão – 2002 ::.

A Copa do Mundo FIFA de 2002 foi a 17ª edição da Copa do Mundo FIFA de Futebol que reuniu 32 equipes entre os dias 31 de Maio e 30 de Junho. O Brasil conquistou pela quinta vez o título mundial, depois de derrotar a Alemanha na final.

Foi a primeira vez que dois países sediaram unidos a competição, a primeira vez que três seleções – França, Japão e Coreia do Sul – estavam classificadas automaticamente e a primeira vez que uma edição da Copa não aconteceu na Europa ou nas Américas. Foi um avanço do continente Asiático.

Foi a última edição do torneio, onde o campeão anterior do torneio garantia vaga direta na fase final da competição. A França, campeã da edição de 1998, foi a última privilegiada por este sistema. A partir do final deste Mundial, a seleção campeã teria que garantir vaga na próxima competição, jogando as Eliminatórias. A partir daí, somente o país-sede do próximo Mundial é que teria vaga direta na fase final, sem a necessidade de disputar as Eliminatórias.

Foi a Copa das grandes surpresas e decepções. Do lado das surpresas contaram-se o Senegal (1 X 0 contra a França, 1 X 1 com a Dinamarca, 3 X 3 com o Uruguai, sendo eliminado só nas quartas-de-final pela Turquia, outra surpresa). Os turcos venderam caro a derrota para o Brasil, ficaram em 2º no grupo e perderam de novo para o Brasil, nas semifinais, por um 1 X 0. A Turquia pode queixar-se de um calendário de jogos mal feito, em parte devido ao fato do campeonato se disputar em dois países, dado que as equipes que se enfrentam na fase de grupos não devem voltar a jogar uma contra a outra, exceto na final. Na disputa do 3º lugar, a Turquia ganhou por 3 X 2 da Coreia do Sul, outra grande surpresa, apesar de claramente ter sido beneficiada de um modo escandaloso pela arbitragem, principalmente no jogo contra os italianos. A Coreia ganhou da Polônia, Portugal, Itália, eliminou a Espanha e ficou em 4º lugar no Mundial.

Do lado das decepções estão a França, Argentina, Itália e Portugal. A França, favorita ao título, foi eliminada logo na 1ª fase, com 1 empate, 2 derrotas e nenhum gol marcado.

A Argentina caiu no chamado “Grupo da Morte”. Após ter vencido a Nigéria por 1 X 0, perdeu para a Inglaterra por 1 X 0 e sucumbiu diante da Suécia num empate em 1 X 1. A Itália se classificou no seu grupo no saldo de gols, mas foi eliminada nas oitavas-de-final pela Coreia do Sul. Curiosamente em 1966, a Itália foi eliminada pela Coreia do Norte. Portugal perdeu surpreendentemente para os Estados Unidos por 3 X 2, pareceu recompor-se com uma vitória sobre a Polônia, mas perdeu por 1 X 0 para a Coreia do Sul.

Brasil e Alemanha, os dois gigantes das Copas, chegaram a 2002 desacreditados por todos. No entanto, jogaram a final entre si. A Alemanha ganhou da Arábia Saudita por 8 X 0, Camarões 2 X 0, empatou 1 X 1 com a Irlanda, e depois venceu seus outros jogos todos por 1 X 0 até à final. O destaque alemão foi o goleiro Oliver Kahn, que só levou 3 gols durante o torneio.

O Brasil fez a seguinte campanha: 2 X 1 com a Turquia, 4 X 0 com a China, 5 X 2 com a Costa Rica, 2 X 0 frente à Bélgica, 2 X 1 sobre a Inglaterra, e 1 X 0 frente à Turquia. Na final, o Brasil ganhou por 2 X 0 da Alemanha. O Brasil chegou ao pentacampeonato, inédito, e igualou a Alemanha em número de finais consecutivas, três.

Na final o Brasil entrou em campo com a seguinte equipe: Marcos; Lúcio, Roque Júnior e Edmílson; Roberto Carlos, Gilberto Silva, Kléberson, Cafu (Capitão) e Ronaldinho Gaúcho; Rivaldo e Ronaldo.

Ronaldo foi o grande nome da Copa, pois todos duvidavam de sua capacidade física de disputar o mundial, devido a 2 anos de inatividade por causa de suas cirurgias no joelho. Os 4 R’s brilharam: Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Rivaldo e Roberto Carlos. O técnico do Brasil foi Luiz Felipe Scolari. (Fonte: wikipedia.org)

A Família Scolari

No dia 23 de julho de 2001, a seleção brasileira era eliminada da Copa América com uma vergonhosa derrota por 2 a 0 para Honduras. Quem em sã consciência apostaria que, menos de um ano depois, o Brasil seria campeão mundial pela quinta vez?

Sim, havia uma pessoa. Seu nome: Luiz Felipe Scolari. Apesar dos seguidos maus resultados da equipe, que estava ameaçada de ficar de fora do Mundial pela primeira vez em sua história, o treinador mostrava confiança e garantia a classificação. Suada, a vaga só veio na última rodada, graças a uma vitória por 3 a 0 sobre a Venezuela, com dois gols de Luizão.

Passado o pesadelo das eliminatórias, Scolari começou a reconstruir a equipe. Sem grandes esperanças de ver o Brasil conquistar o título, a torcida o pressionava pela convocação de Romário. Firme, o técnico não cedeu. Em vez de chamar o Baixinho, apostou na recuperação de Ronaldo e Rivaldo, que vinham de graves contusões, manteve suas convicções até o fim e foi recompensado.

A sorte começou a sorrir para a seleção brasileira já no sorteio das chaves – o país caiu no grupo C, ao lado das modestas Turquia, Costa Rica e China. Com isso, Scolari ganhou tempo e tranquilidade para preparar a equipe e dar ritmo de jogo aos seus principais craques.

A estreia diante dos turcos, porém, foi um sufoco superado apenas graças a uma ajuda do árbitro sul-coreano Young Joo Kim. Os europeus saíram na frente, mas Rivaldo lançou Ronaldo, que empatou de carrinho. Quando o 1 a 1 parecia assegurado, Luizão cavou um pênalti (havia sido derrubado de forma duvidosa fora da área), que Rivaldo converteu.

Nas duas outras partidas da primeira fase, duas fáceis goleadas sobre China (4 a 0, com um gol de cada “R” – Roberto Carlos, Ronaldo, Ronaldinho e Rivaldo) e Costa Rica (5 a 2, mais um de Rivaldo e outros dois de Ronaldo).

No dia 17, a Copa finalmente começava para o Brasil. O adversário do primeiro “mata-mata” era a Bélgica, segunda colocada do grupo H. O duelo estava empatado em 0 a 0 quando Wilmots subiu de cabeça e marcou para os belgas. O árbitro jamaicano Peter Prendergast anulou equivocadamente, marcando falta do atacante sobre Roque Júnior. Passado o susto, Rivaldo fez um golaço e Ronaldo, completando contra-ataque, fechou a complicada vitória por 2 a 0.

Apagado no torneio até então, Ronaldinho Gaúcho foi o destaque da vitória sobre a Inglaterra – justamente na única partida em que Ronaldo passou em branco. Os ingleses aproveitaram uma falha de Lúcio e abriram o placar no ínicio do jogo. Já nos acréscimos do primeiro tempo, Ronaldinho fez grande jogada individual e serviu Rivaldo, que bateu de primeira e empatou.

Na segunda etapa, ele cobrou uma falta da intermediária direto para o gol, surpreendendo e encobrindo o experiente goleiro Seaman. Minutos depois, Ronaldinho recebeu o cartão vermelho por uma entrada violenta e quase estragou sua grande atuação. Mas mesmo com um jogador a menos, o Brasil soube segurar o resultado.

A Turquia voltou a cruzar o caminho brasileiro na semifinal. Mordida pelo erro do juiz no primeiro encontro, a seleção turca queria vingança, e mais uma vez deu trabalho aos comandados de Scolari. O gol de bico de Ronaldo foi o suficiente para colocar o Brasil na decisão.

A final foi um encontro inédito de dois gigantes: Brasil x Alemanha. O jogo nervoso durou até os 22min do segundo tempo, quando Ronaldo roubou a bola e serviu Rivaldo. Kahn não segurou o chute do meia, e a bola sobrou limpa para o Fenômeno fazer 1 a 0. Pouco depois, Rivaldo fez um belo corta-luz para Ronaldo marcar o segundo e definir a conquista do pentacampeonato. Coube ao capitão Cafu, único jogador a disputar três finais consecutivas em Copas, a honra de levantar a taça. (Fonte: uol.com.br)


.:: Brasil, Pentacampeão! ::.

Elenco da Seleção Brasileira Pentacampeão Mundial de Futebol.
Em pé: Lúcio, Edmilson, Roque Júnior, Gilberto Silva, Marcos, Kaká, Vampeta, Ânderson Polga, Dida, Rogério Ceni e Belletti; Agachados: Ronaldinho, Ronaldo, Roberto Carlos, Kléberson, Rivaldo, Cafu, Júnior, Ricardinho, Luizão, Edilson, Denilson e Juninho Paulista.
Crédito: www.lancenet.com.br/arquivo
Elenco da Seleção Brasileira
Atleta Alcunha Clube J G P
01 GO Marcos Roberto Silveira Reis Marcos SE Palmeiras 7 4 1
02 LD Marcos Evangelista de Moraes Cafu AS Roma 7 0 3
03 ZA Lucimar Ferreira da Silva Lúcio Bayer Leverkusen 7 0 1
04 ZA José Vítor Roque Júnior Roque Júnior AC Milan 6 0 1
05 ZA José Edmilson Gomes Moraes Edmilson Olympique Lyon 6 1 1
06 LE Roberto Carlos da Silva Rocha Roberto Carlos Real Madrid CF 6 1 2
07 MV Ricardo Luis Pozzi Rodrigues Ricardinho SC Corinthians 3 0 1
08 MV Gilberto Aparecido da Silva Gilberto Silva Atlético Mineiro 7 0 1
09 AT Ronaldo Luís Nazário de Lima Ronaldo FC Inter de Milão 7 8 3
10 AT Rivaldo Vítor Borba Ferreira Rivaldo FC Barcelona 7 5 2
11 MA Ronaldo de Assis Moreira Ronaldinho Paris st. Germain 5 2 1
12 GO Nélson de Jesus Silva Dida AC Milan 0 0 2
13 LD Juliano Haus Belletti Belletti São Paulo FC 1 0 1
14 ZA Ânderson Corrêa Polga Ânderson Polga Grêmio FBPA 2 0 1
15 MV José Kléberson Pereira Kléberson Atlético Paranaense 5 0 1
16 LE Jenílson Ângelo de Souza Júnior Parma FC 1 1 1
17 AT Denilson de Oliveira Araújo Denilson Real Betis 5 0 2
18 MV Marcos André Batista dos Santos Vampeta SC Corinthians 1 0 1
19 MA Osvaldo Giroldo Júnior” Juninho Paulista CR Flamengo 5 0 1
20 AT Edilson da Silva Ferreira Edilson Cruzeiro EC 4 0 1
21 AT Luiz Carlos Bombonato Goulart Luizão Grêmio FBPA 2 0 1
22 GO Rogério Mücke Ceni Rogério Ceni São Paulo FC 0 0 1
23 MA Ricardo Izecson dos Santos Leite Kaká São Paulo FC 1 0 1
Coach: Luiz Felipe Scolari Felipão Confederação Brasileira de Futebol
# Capitão: Narcos Evagelista de Moraes, Cafu.
# Ronaldo Nazário de Lima foi o artilheiro da copa com 8 gols marcados.
# Cafu tornou-se o primeiro atleta a disputar 3 finais de copa seguidas.
# Referências: www.wikipedia.org/2002-FIFA-World-Cup/squads/Brazil

.:: Campanha ::.

Segunda-Feira, 3 de Junho de 2002, às 7:00 hs – Grupo C – 1ª Rodada
Munsu World Cup Stadium, em Ulsan, Coréia do Sul – 33.842 pagantes
Brasil 2 x 1 Turquia
Ronaldo, 49′
Rivaldo (pen), 871
Jogo 1
Ficha
Hasan Şaş, 45’+2

Sábado, 8 de Junho de 2002, às 7:30 hs – Grupo C – 2ª Rodada
Jeju World Cup Stadium, em Jeju, Coréia do Sul – 36.750 pagantes
Brasil 4 x 0 China
Roberto Carlos (Falta), 15′
Rivaldo, 32′
Ronaldinho, 45′ (pen)
Ronaldo, 55′
Jogo 2
Ficha

Quinta-Feira, 13 de Junho de 2002, às 4:30 hs – Grupo C – 3ª Rodada
Suwon World Cup Stadium, em Suwon, Coréia do Sul – 38.524 pagantes
Costa Rica 2 x 5 Brasil
Paulo Wanchope, 39′
Rónald Gómez, 56′
Jogo 3
Ficha
Ronaldo, 10′
Ronaldo, 13′
Edmílson, 38′
Rivaldo, 62′
Júnior, 64′

Segunda-Feira, 17 de Junho de 2002, às 7:30 hs – Oitavas de Final
Kobe Wing Stadium, em Kobe, Japão – 40.440 pagantes
Brasil 2 x 0 Bélgica
Rivaldo, 67′
Ronaldo, 87′
Jogo 4
Ficha

Sexta-Feira, 21 de Junho de 2002, às 4:30 hs – Quartas de Final
Shizuoka “Ecopa” Stadium, em Shizuoka, Japão – 47.436 pagantes
Inglaterra 1 x 2 Brasil
Michael Owen, 22′ Jogo 5
Ficha
Rivaldo, 45+2′
Ronaldinho, 50′ (Falta)

Quarta-Feira, 26 de Junho de 2002, às 7:30 hs – Semifinal
Saitama Stadium 2002, em Saitama, Japão – 61.058 pagantes
Brasil 1 x 0 Turquia
Ronaldo, 49′ Jogo 6
Ficha

Domingo, 30 de Junho de 2002, às 7:00 hs – Final
International Stadium, em Yokohama, Japão – 69.029 pagantes
Alemanha 0 x 2 Brasil
Jogo 7
Ficha
Ronaldo, 67′
Ronaldo, 79′

.:: Os Campeões – The Champions ::.
1 Marcos 2 Cafu 3 Lúcio 4 Roque Jr 5 Edmilson
6 Roberto Carlos 7 Ricardinho 8 Gilberto Silva 9 Ronaldo 10 Rivaldo
11 Ronaldinho 12 Dida 13 Belletti 14 Polga 15 Kléberson
16 Júnior 17 Denilson 18 Vampeta 19 Juninho 20 Edilson
21 Luizão 22 Rogério Ceni 23 Kaká Felipão Uniforme

.:: Deixe um Comentário ::.
Se você gostou desse post ou do site indique para seus amigo.
Deixe uma crítica ou uma sugestão.

Elenco da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1998

.:: 16ª Copa do Mundo, França 1998 ::.

A Copa do Mundo FIFA de 1998 foi a 16ª edição da Copa do Mundo FIFA de Futebol, que ocorreu de 10 de junho até 12 de julho de 1998. A competição foi sediada na França, pela segunda vez, tendo partidas realizadas nas cidades de Saint-Denis, Marselha, Paris, Lens, Lyon, Nantes, Toulouse, Saint-Étienne, Bordéus e Montpellier. Trinta e duas seleções nacionais foram qualificadas para participar desta edição do campeonato, sendo quinze delas europeias (França, Alemanha, Itália, Holanda, Romênia, Espanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Dinamarca, Inglaterra, Noruega, Escócia e Iugoslávia), oito americanas (Brasil, Argentina, Jamaica, México, Estados Unidos, Chile, Colômbia e Paraguai), cinco africanas (Camarões, Marrocos, Nigéria, África do Sul e Tunísia) e quatro asiáticas (Irã, Japão, Coreia do Sul e Arábia Saudita).

O torneio foi marcado por goleadas, entre elas França 4 x 0 Arábia Saudita, Espanha 6 x 1 Bulgária, Holanda 5 x 0 Coreia do Sul e Argentina 5 x 0 Jamaica. A copa teve vários destaques, como Edwin van der Sar, Jaap Stam, Edgar Davids, Patrick Kluivert e Dennis Bergkamp da Holanda, Brian Laudrup e Michael Laudrup da Dinamarca, Gabriel Batistuta da Argentina, Davor Šuker da Croácia, Taffarel, Ronaldo, Rivaldo, Bebeto, Dunga, Cafu e Roberto Carlos do Brasil e Lilian Thuram, Marcel Desailly, Bixente Lizarazu, Laurent Blanc, Didier Deschamps, Youri Djorkaeff, Fabien Barthez e o destacado Zinédine Zidane da França.

A final da Copa do Mundo FIFA de 1998 foi disputada pela França, que havia eliminado a Croácia, a Itália e o Paraguai; e o Brasil, que havia eliminado a Holanda, a Dinamarca e o Chile. A partida foi realizada em 12 de julho às 21 horas, no Stade de France, com um público estimado em oitenta mil pessoas. Sob o apito do árbitro marroquino Said Belqola, Zinédine Zidane marcou duas vezes no primeiro tempo e Emmanuel Petit ampliou aos 48 minutos do segundo tempo, terminando a partida em 3 a 0, derrotando a seleção brasileira, então a última campeã do mundo e única tetracampeã da época. O capitão francês Didier Deschamps levantou a taça do primeiro título da França em Copas do Mundo. (Fonte: wikipedia.org)

Apagão de Ronaldo e da Seleção

Campeão mundial em 1994, o Brasil não disputou as eliminatórias. A preparação da equipe e a definição dos 22 jogadores que iriam à França foram feitas durante jogos amistosos, sem o ritmo de uma competição. A vitória por 2 a 1 sobre a Alemanha, fora de casa, deu a impressão de que o time estava no caminho certo. Um mês depois, porém, a derrota para a Argentina em pleno Maracanã abalou a confiança da torcida.

Pressionado, o técnico Mario Jorge Lobo Zagallo teve que engolir a inclusão de Zico no cargo de coordenador. E, a menos de dez dias do início da Copa, o atacante Romário foi cortado por causa de uma lesão na panturrilha. Quando diagnosticada pelos médicos da seleção, a contusão foi considerada leve, e Romário se recuperaria a tempo de disputar o torneio.

Poucos dias depois, no entanto, a comissão técnica caiu em contradição. Dessa vez, disse que a lesão era grande e que não seria curada em tempo hábil. Cortado, Romário voltou a jogar pelo Flamengo bem antes do fim da Copa. Foi a primeira das três mentiras brasileiras na campanha na França.

Sem o herói do tetra, a briga por um lugar no ataque aumentou. Cobrando uma vaga entre os titulares, Edmundo entrou em atrito com os tetracampeões Bebeto e Leonardo, acusando os companheiros de boicotá-lo em treinos e partidas amistosas.

A estreia contra a Escócia não foi das melhores. O Brasil saiu na frente logo no início, aliviando a tensão, mas não mostrou um futebol convincente. Só garantiu a vitória por 2 a 1 com um gol contra. No segundo jogo, Ronaldo, Rivaldo e Bebeto marcaram os gols brasileiros na fácil vitória sobre a seleção de Marrocos, o que garantiu a classificação para a fase seguinte.

A segunda mentira se revelou após a terceira partida. A derrota por 2 a 1 para a Noruega mostrou que a união da equipe, alardeada por jogadores e comissão técnica, não era tanta assim. Depois do resultado, inútil dentro da competição, os jogadores trocaram farpas e críticas publicamente.

Nas oitavas de final, uma goleada tranquila sobre o Chile, com dois gols de Ronaldo e outros dois de César Sampaio, até então o melhor jogador brasileiro. Diante da Dinamarca, brilhou a estrela de Rivaldo, que marcou dois gols na apertada vitória por 3 a 2.

Na semifinal, contra a Holanda, Ronaldo fez seu melhor jogo no torneio. Abriu o placar e perdeu muitas chances de matar o jogo na prorrogação. O papel de herói, todavia, ficou para o goleiro Taffarel, que defendeu duas cobranças holandesas na decisão por pênaltis e colocou o Brasil na final.

No dia da decisão, o atacante Ronaldo sofreu uma convulsão horas antes da partida. Examinado em uma clínica francesa, foi liberado para atuar pelos médicos. O episódio abalou a seleção brasileira, que ficou assustada e dividida sobre a escalação do jogador. (Fonte: uol.com.br)

Para o público, Ronaldo primeiro teve problemas no tornozelo. Depois, uma convulsão. Mais tarde, uma crise nervosa, disseram que teria “amarelado”. A verdade jamais foi esclarecida totalmente. Foi a terceira e última mentira brasileira na Copa.

O que aconteceu na partida decisiva não é mistério para ninguém. Diante dos donos da casa, o Brasil não conseguiu enganar. Comandada por Zinedine Zidane, a França gastou a bola e venceu fácil por 3 a 0.

Antes disso, o Brasil jamais havia perdido um jogo de Copa do Mundo por tamanha diferença de gols. Com os três gols sofridos, a defesa brasileira levou 10 gols no total, terminando a competição como a mais vazada entre as 32 seleções. Foi também a primeira vez, desde 1974, que o Brasil perdeu dois jogos no mesmo Mundial. E o título ficou em boas mãos.


.:: Brasil, Vice-Campeão ::.

Em pé: Taffarel, Rivaldo, Cesar Sampaio, Aldair, Junior Baiano e Cafu.
Agachados: Ronaldo, Roberto Carlos, Bebeto, Leonardo e Dunga, Tec: Zagallo
Crédito: www.copadomundo.uol.com.br
Elenco da Seleção Brasileira
Atleta Alcunha Clube J G P
01 GO Cláudio André Mergen Taffarel Taffarel Atlético (MG) 7 10 3
02 LD Marcos Evangelista de Moraes Cafu AS Roma (ITA) 6 0 2
03 ZA Aldair Nascimento dos Santos Aldair AS Roma (ITA) 6 0 3
04 ZA Raimundo Ferreira Ramos Jr. Júnior Baiano CR Flamengo (RJ) 7 0 1
05 MV Carlos César Sampaio Campos César Sampaio Yokohama Flügels (JAP) 6 3 1
06 LE Roberto Carlos da Silva Rocha Roberto Carlos Real Madrid CF (ESP) 7 0 1
07 MA Giovanni Silva de Oliveira Giovanni FC Barcelona (ESP) 1 0 1
08 MV Carlos Caetano Bledorn Verri Dunga Júbilo Iwata (JAP) 7 0 3
09 AT Ronaldo Luís Nazário de Lima Ronaldo Internazionale FC (ITA) 7 4 2
10 MA Rivaldo Vítor Borba Ferreira Rivaldo FC Barcelona (ESP) 7 3 1
11 MV Émerson Ferreira da Rosa Émerson Bayer Leverkusen (ALE) 2 0 1
12 GO Carlos Germano Schwambach Neto Carlos Germano CR Vasco da Gama (RJ) 0 0 1
13 LD José Carlos de Almeida Zé Carlos São Paulo FC (SP) 1 0 1
14 ZA Marcelo Gonçalves Costa Lopes Gonçalves Botafogo FR (RJ) 2 0 1
15 ZA André Alves da Cruz André Cruz AC Milan (ITA) 0 0 1
16 LE José Roberto da Silva Zé Roberto CR Flamengo (RJ) 1 0 1
17 MV Dorival Guidoni Júnior Doriv FC Porto (POR) 1 0 1
18 LE Leonardo Nascimento de Araújo Leonardo AC Milan (ITA) 7 0 2
19 AT Denilson de Oliveira Araújo Denilson São Paulo FC (SP) 7 0 1
20 AT José Roberto Gama de Oliveira Bebeto Botafogo FR (RJ) 7 3 3
21 AT Edmundo Alves de Souza Neto Edmundo AC Fiorentina (ITA) 2 0 1
22 GO Nélson de Jesus Silva Dida Cruzeiro EC (MG) 0 0 1
Coach: Mário Jorge Lobo Zagallo Zagallo Confederação Brasileira de Futebol
# Capitão da Seleção Brasileira: Carlos caetano Bledorn Verri “Dunga”.
# Página Oficial da FIFA: www.fifa.com/worldcup/teams/brazil
# Referência: wikipedia.org/1998-word-cup/squad

.:: Campanha Brasileira ::.

Primeira Fase – Grupo A – Primeira Rodada
10 de Junho, 12:30 hs – Stade de France, Saint-Denis – 80.000 pag
Brasil – Brazil 2 x 1 Escócia – Scotland
César Sampaio, 4′ (cab)
Tom Boyd, 73′ (contra)
Jogo 1 Jonh Collins, 38′ (pen)
Primeira Fase – Grupo A – Segunda Rodada
16 de Junho, 16:00 hs – Stade de la Beaujoire, Nantes – 35.500 pag
Brasil – Brazil 3 x 0 Marrocos – Morocco
Ronaldo, 9′
Rivaldo, 45+2′
Bebeto, 50′
Jogo 2
Primeira Fase – Grupo A – Terceira Rodada
23 de Junho, 16:00 hs – Stade Vélodrome, Marseille – 55.000 pag
Brasil – Brazil 1 x 2 Noruega – Norway
Bebeto, 78′ Jogo 3 Tore André Flo, 83′
Kjetil Rekdal, 88′ (pen)
Oitavas de Final
27 de Junho, 16:00 hs – Parc des Princes, Paris – 45.500 pag
Brasil – Brazil 4 x 1 Chile
César Sampaio, 11′
César Sampaio, 27′
Ronaldo, 45+1′ (pen)
Ronaldo, 70′
Jogo 4 Marcelo Salas, 68′ (cab)
Quartas de Final
3 de Julho, 16:00 hs – Stade de la Beaujoire, Nantes – 35.500 pag
Brasil – Brazil 3 x 2 Dinamarca – Denmark
Bebeto, 10′
Rivaldo, 25′
Rivaldo, 59′
Jogo 5 Martin Jørgensen, 2′
Bryan Laudrup, 50′
Semifinal
7 de Julho, 16:00 hs – Stade Vélodrome, Marseille – 54.000 pag
Brasil – Brazil 1 x 1 Holanda – Netherlands
Ronaldo, 46′
Penalidades
Ronaldo (Fez)
Rivaldo (Fez)
Émerson (Fez)
Dunga (Fez)
Jogo 6
4 x 2
1 x 1
2 x 2
3 x 2
4 x 2
Patrick Kluivert, 87′ (cab)
Penalidades
Frank de Boer (Fez)
Dennis Bergkamp (Fez)
Phillip Cocu (Perdeu)
Ronald de Boer (Perdeu)
Final
12 de Julho, 16:00 hs – Stade de France, Saint-Denis – 80.000 pag
França – France 3 x 0 Brasil – Brazil
Zinedine Zidane, 27′ (cab)
Zinedine Zidane, 45+1′ (cab)
Emmanuel Petit, 90+3′
Jogo 6
# Em 07/06 o Brasil venceu a Holanda nas penalidades por 4 x 2, na semifinal.
# Para acessar as escalações das equipes, por favor, clique na palavra JOGO.

.:: Os Jogadores – The Players ::.


.:: Deixe um Comentário ::.
Se você gostou desse post ou do site indique para seus amigo.
Deixe uma crítica ou uma sugestão.


Elenco da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1994


.:: 15ª Copa do Mundo, EUA 1994 ::.

A Copa do Mundo FIFA de 1994 foi sediada nos Estados Unidos, sendo a 15ª Copa do Mundo de Futebol a ser realizada.
Apesar da pouca tradição norte-americana no futebol, foi o mundial do país que bateu todos os recordes de público, mantidos até os dias de hoje.
Com um futebol extremante eficiente e com um grupo muito unido liderado pelo polêmico craque Romário, a Seleção brasileira conquistou o quarto título mundial ao bater a Itália nos pênaltis. A vitória do Brasil foi comemorada também como uma homenagem ao tricampeão mundial de fórmula 1 Ayrton Senna, morto em 1 de maio daquele ano.
Foi uma copa de surpresas. A Bulgária, que até ali em 6 participações anteriores jamais havia vencido um jogo de Copa do Mundo superou grandes favoritos, sendo a 2ª colocada em um grupo que tinha a Argentina, além de eliminar em um jogo emocionante a Alemanha, até então a Campeã mundial, por 2 a 1 nas quartas de final. Outra surpresa foi a Nigéria, com seu futebol ofensivo. Romênia e Suécia também surpreenderam. Os suecos ficaram com o 3º lugar ao derrotar a Bulgária por 4 a 0.

Curiosidades: Foi o último mundial a ter 24 seleções disputando o torneio. Na Copa da França, em 1998, seriam 32 seleções, critério que se segue até hoje. O fraco desempenho técnico e a baixa média de gols no Mundial anterior fez a FIFA mudar algumas regras do jogo para torná-lo mais atraente aos olhos do público. Entre as mudanças, merecem ser citadas:

– Num lance que possa gerar dúvida, o benefício será dado sempre à equipe que ataca;
– No atraso de bola (recuo de bola) feito com os pés ao goleiro, ele só pode receber a bola com os pés; a exceção da regra só vale se a bola for atrasada com o peito ou a cabeça, para que o goleiro possa agarrar a bola;
– Cartão vermelho ao jogador que atingir o adversário por trás; o mesmo vale para o jogador que comete falta como último homem da defesa;
– Substituição do goleiro, em caso de contusão ou expulsão do mesmo;
– Três pontos por vitória para estimular as equipes a jogar pela vitória;
– Todos os 11 reservas ficam no banco de reservas; antes disso, o treinador era obrigado a escolher 5 dos 11 reservas para serem relacionados no banco de reservas;
– Os números dos atletas devem ficar nas costas da camisa em números grandes, com o respectivo nome do atleta;
– As camisas devem ter números também na frente, em dimensões menores ou iguais as que devem ficar na frente do calção.
– O centroavante russo Oleg Salenko conseguiu um recorde. Ele marcou 5 gols numa só partida, quando sua equipe goleou o Camarões por 6×1. Até hoje, ninguém conseguiu igualar tal feito.
– O mundial dos EUA testemunhou a primeira expulsão de um goleiro em Copas: o italiano Gianluca Pagliuca conseguiu tal feito na partida contra a Noruega na primeira fase. Aos 22 minutos do primeiro tempo, em um contra-ataque norueguês, o goleiro italiano deu um tapa na bola fora de sua área. Como era o último homem da defesa, ele foi expulso. Aí entrou a regra da terceira substituição: para entrar o goleiro reserva Luca Marchegiani, o treinador italiano Arrigo Sacchi tirou o atacante Roberto Baggio. Pela expulsão, o goleiro italiano pegou 2 jogos de suspensão, só voltando ao time titular no jogo de quartas-de-final diante da Espanha.
– O cartão amarelo mais rápido da Copa de 1994 foi dado ao russo Sergey Gorlukovich, quando o jogo contra a Suécia nem havia começado. Ele acabou igualando a façanha do italiano Giampiero Marini, que também recebeu amarelo antes do início do jogo contra a Polônia, em 1982.
– 3 Seleções retornam a disputar um mundial após um longo período : Noruega (56 anos depois), Bolívia (44 anos depois), Suíça (28 anos depois). (Fonte: wikipedia.org)

É tetra, é tetra Mesmo sem o brilho de outras equipes, a seleção brasileira soube impor seu jogo e superar as adversidades. Com um esquema tático preparado para proteger a defesa, o Brasil foi o time que menos gols sofreu durante a Copa – foram três, um contra a Suécia, na primeira fase, e dois contra a Holanda, nas quartas de final.

Mérito do treinador Carlos Alberto Parreira, que não sucumbiu às críticas e manteve a sua filosofia de jogo. Muito bem orientados e adaptados ao esquema, o meia defensivo Mauro Silva e o zagueiro Márcio Santos se destacaram na competição, garantindo a solidez da zaga brasileira.

Outro meia defensivo, o capitão Dunga, calou os críticos, liderou o time dentro do campo com muita garra e, como recompensa, ergueu a taça. De jogador símbolo de um futebol feio e perdedor, passou a capitão do tetracampeonato, figura incontestável no meio-campo da seleção brasileira.

Quem também calou os críticos foi o lateral-esquerdo Branco. Veterano, ele entrou no time no lugar de Leonardo, suspenso do Mundial depois de ter dado uma cotovelada em Tab Ramos, durante jogo contra os Estados Unidos. E foi justamente em uma magistral cobraça de falta de Branco que o Brasil venceu o seu jogo mais difícil na campanha do tetracampeonato, contra a Holanda, nas quartas de final.

No ataque, a pouca criatividade do meio-campo foi compensada pela genialidade do atacante Romário. Ele personificou a força ofensiva do futebol brasileiro. O Baixinho fez cinco gols no Mundial, entre eles um de cabeça no meio da gigante defesa sueca nas semifinais do torneio.

Quando não marcou, Romário contou com a ajuda do parceiro Bebeto, que apareceu em momentos decisivos, como na difícil vitória sobre os Estados Unidos, nas oitavas de final.

Pouco exigido durante todo o Mundial, o goleiro Taffarel mostrou competência e sorte de campeão quando o Brasil precisou dele. Defendeu a cobrança de Massaro e viu Baresi e Baggio chutarem por cima na decisão por pênaltis contra a Itália.

Combinando organização e talento e mesclando disciplina tática à arte de Romário, a seleção brasileira acabou com a agonia da torcida, que já durava 24 anos. Conquistou seu primeiro título mundial sem Pelé e recuperou o prestígio da camisa verde e amarela. (Fonte: uol.com.br)


.:: Os Tetra-Campeões Mundiais ::.
Em pé: Taffarel, Jorginho, Aldair, Mauro Silva, Márcio Santos e Branco;
Agachados: Mazinho, Romário, Dunga, Bebeto e Zinho; Técnico: Parreira
Crédito: www.jogamundo.tumblr.com
Elenco da Seleção Brasileira na Copa do Mundo
Nome Completo Alcunha Clube J G C
01 GO Cláudio André Mergen Taffarel Taffarel AC Reggiana/ITA 7 3 2
12 Go Armelino Donizetti Quagliato Zetti FC São Paulo/SP 0 0 1
22 GO Gilmar Luís Rinaldi Gilmar CR Flamengo/RJ 0 0 1
02 Ld Jorge de Amorim Campos Jorginho Bayern München/ALE 7 0 2
14 Ld Marcos Evangelista de Moraes Cafu FC São Paulo/SP 3 0 1
03 Za Ricardo Roberto Barreto Rocha Ricardo Rocha CR Vasco da Gama/RJ 1 0 2
04 Za Ronaldo Rodrigues de Jesus Ronaldão Shimizu S-Pulse/JAP 0 0 1
13 Za Aldair Nascimento dos Santos Aldair AS Roma/ITA 7 0 2
15 Za Márcio Roberto dos Santos Márcio Santos FC Bordeaux/FRA 7 1 1
06 Le Cláudio Ibrahim Vaz Leal Branco FC Fluminense/RJ 3 1 3
16 Le Leonardo Nascimento de Araújo Leonardo FC São Paulo/SP 3 0 1
05 Mc Mauro da Silva Gomes Mauro Silva Dep. La Coruña/ESP 7 0 1
08 Mc Carlos Caetano Bledorn Verri Dunga VFB Stuttgart/ALE 7 0 2
09 Mc Crizan César de Oliveira Filho Zinho SE Palmeiras/SP 7 0 1
10 Mc Raí Souza Vieira de Oliveira Raí Paris st-Germain/FRA 5 1 1
17 Mc Iomar do Nascimento Mazinho SE Palmeiras/SP 6 0 2
07 At José Roberto Gama de Oliveira Bebeto Dep. La Coruña/ESP 7 3 2
11 At Romário de Souza Faria Romário FC Barcelona/ESP 7 5 2
18 At Paulo Sérgio Silvestre do Nascimento Paulo Sérgio Bayer Leverkusen/ALE 2 0 1
19 At Luis Antônio da Costa Müller FC São Paulo/SP 1 0 3
20 At Ronaldo Luís Nazário de Lima Ronaldo EC Cruzeiro/MG 0 0 1
21 At Paulo Sérgio Rosa Viola SC Corinthians/SP 1 0 1
Técnico: Carlos Alberto Gomes Parreira Parreira Conf. Brasileira de Futebol
# Capitão da Seleção Brasileira: Carlos Caetano Bledorn Verri “Dunga”.
# Leonardo foi expulso contra os Estados Unidos e ficou fora do restante da copa;
# Página Oficial da FIFA: www.fifa.com/worldcup/teams/brazil
# Referência: wikipedia.org/1994-word-cup/squad

.:: Campanha do Tetra ::.
Primeira Fase – 1ª Rodada
20 de Junho 1994, 16:00 hs – Stanford Stadium, Stanfod, Califórnia – 81.061 pag
Brasil 2 x 0 Rússia
Romário, 26′
Raí, 52′ (pen)
Jogo 1
Primeira Fase – 2ª Rodada
24 de Junho de 1984, 13:00 hs – Stanford Stadium, Stanfod, Califórnia – 83.401 pag
Brasil 3 x 0 Camarões
Romário, 39′
Márcio Santos, 66′
Bebeto, 73′
Jogo 2
Primeira Fase – 3ª Rodada
28 de Junho de 1994, 16:00 hs – Pontiac Silverdome, Pontiac, Michigan – 77.217 pag
Brasil 1 x 1 Suécia
Romário, 46′ Jogo 3 Kennet Andersson, 23′
Oitavas as de Final
4 de Julho de 1994. 12:35 hs – Stanford Stadium, Stanfod, Califórnia – 84.147 pag
Estados Unidos 0 x 1 Brasil
Jogo 4 Bebeto, 72′
Quartas as de Final
9 de Julho de 1994. 14:35 hs – Cotton Bowl, Dallas, Texas – 63.500 pag
Holanda 2 x 3 Brasil
Dennis Bergkamp, 64′
Aron Winter, 76′ (cab)
Jogo 5 Romário, 53′
Bebeto, 63′
Branco, 81′ (Falta)
Semi-Final
13 de Julho de 1994. 16:00 hs – Rose Bowl, Pasadena, Califórnia – 91.856 pag
Suécia 0 x 1 Brasil
Jogo 6 Romário, 80′ (Cabeça)
Final
17 de Julho de 1994. 12:35 hs – Rose Bowl, Pasadena, Califórnia – 94.194 pag
Brasil 0 x 0 Itália
Pênaltis
Márcio Santos (Perdeu)
Romário (Fez 1-1)
Branco (Fez 2-2)
Dunga (Fez 3-2)
Bebeto (Não Cobrou)
Jogo 7
0 x 0
1 x 1
2 x 2
3 x 2
Pênaltis
Franco Baresi (Pra Fora)
Demetrio Albertini (Fez 1-0)
Alberigo Evani (Fez 2-1)
Daniele Massaro (Perdeu)
Roberto Baggio (Pra Fora)
# Para acessar as escalações das equipes, por favor, clique na palavra JOGO.

.:: Galeria de Imagens ::.
Jogadores e comissão técnica homenagearm o piloto Airton Senna;
Crédito: www.mela10.it

.:: Os Campeões – The Champions ::.

Elenco da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1990



.:: 14ª Copa do Mundo, Itália 1990 ::.

A Copa do Mundo FIFA de 1990 foi a décima quarta edição da Copa do Mundo FIFA de Futebol, que ocorreu de 8 de junho até 8 de julho de 1990. O evento foi sediado na Itália, tendo partidas realizadas nas cidades de Milão, Roma, Nápoles, Turim, Bari, Verona, Florença, Cagliari, Bologna, Udine, Palermo e Genova. Vinte e quatro seleções foram qualificadas para participar desta edição do campeonato, sendo treze delas europeias (Itália, Alemanha Ocidental, Bélgica, Inglaterra, Escócia, Áustria, Suécia, Iugoslávia, Espanha, Países Baixos, Tchecoslováquia, Irlanda, União Soviética, Romênia), 6 americanas (Brasil, Argentina, Colômbia, Uruguai, Estados Unidos e Costa Rica), 2 africanas (Camarões e Egito) e 2 asiáticas (Emirados Árabes e Coreia do Sul).

As seleções da Costa Rica, dos Emirados Árabes e da Irlanda faziam sua primeira participação na competição. A edição teve três grandes goleadas: Estados Unidos 1 x 5 Tchecoslováquia, Camarões 0 x 4 União Soviética e Alemanha Ocidental 5 x 1 Emirados Árabes. A Copa contou com grandes jogadores, como Paolo Maldini, Franco Baresi e Salvatore Schillaci da Itália, Careca do Brasil, Roger Milla de Camarões, Diego Maradona e Claudio Caniggia da Argentina, Peter Shilton, Gary Lineker, Paul Gascoigne, David Platt e Ian Wright da Inglaterra, Ronald Koeman, Frank Rijkaard, Marco Van Basten e Ruud Gullit da Holanda e Bodo Illgner, Andreas Brehme, Lothar Matthäus, Rudi Völler e Jürgen Klinsmann da Alemanha.

A Copa de 1990 entrou para a história como uma Copa de equipes defensivas, que jogavam apenas para alcançar o resultado. É geralmente conhecida como o marco que separa o futebol antigo, pautado no “futebol arte”, do moderno, com seu “futebol força”. A Itália, dona da casa, era grande favorita ao título; Brasil e Argentina, jogaram um futebol retrancado e apático. O grande destaque foi a seleção de Camarões que vinha na contramão dos times retrancados, jogando um futebol alegre e cheio de energia, tendo por destaque o atacante Roger Milla.

A final da Copa do Mundo FIFA de 1990 foi disputada pela Argentina, que havia eliminado a Itália, a Iugoslávia e o Brasil; e a Alemanha Ocidental, que havia eliminado a Inglaterra, a Tchecoslováquia e a Holanda; a trajetória de 6 jogos dessas equipes teve 3 partidas resolvidas em disputas de pênalti e 3 em placares com um gol de diferença. A partida foi realizada em 8 de julho às 20h, no Estádio Olímpico de Roma, com um público de 73 603 pessoas. Sob o apito do árbitro mexicano Edgardo Codesal, Andreas Brehme converteu uma penalidade aos 40 minutos do segundo tempo, trazendo o terceiro título da Alemanha Ocidental em Copas do Mundo, o primeiro no qual os alemães não vencem a equipe favorita. (Fonte: wikipedia.org)

Eliminado por los Hermanos

A participação brasileira na Copa de 1990 foi a pior desde 1966, quando a seleção caiu ainda na primeira fase. O técnico Sebastião Lazaroni manteve-se fiel ao grupo que venceu a Copa América no ano anterior e chamou praticamente os mesmos jogadores, mesmo aqueles que não atravessavam bom momento.

Até Romário, à época recuperando-se de uma complicada cirurgia, foi convocado. A seleção passou pelas eliminatórias sem grande dificuldade, apesar do triste episódio da “fogueteira Rosimeiry” na partida contra o Chile, no Maracanã.

O papelão dos chilenos, que abandonaram o campo com o goleiro Rojas fingindo estar ferido, facilitou as coisas para o Brasil. Antes do início da Copa do Mundo, os jogadores entraram em atrito com os dirigentes por discordarem dos valores da premiação. E o Brasil, que deveria ficar concentrado em Milão, na última hora foi mandado para Turim.

Pela primeira vez, os familiares dos jogadores tiveram livre acesso à concentração da seleção. O hotel brasileiro transformou-se em uma passarela de parentes, convidados, empresários e dirigentes. Já a imprensa esportiva, boicotada por criticar a equipe, não podia entrar na concentração.

Em campo, Lazaroni tentou inovar – lançou Mauro Galvão como líbero, transformou os laterais em alas e adotou um esquema europeu. A tática não deu certo, o time ficou muito defensivo, e o técnico não conseguiu escalar a dupla de atacantes que gostaria (Bebeto e Romário).

Os dois primeiros jogos do Brasil na Copa do Mundo foram duros. Com um futebol fraco e defensivo, a seleção venceu Suécia (2 a 1) e Costa Rica (1 a 0) sem convencer. Criticado e pressionado, Lazaroni viu alguns de seus reservas, como Renato Gaúcho e Aldair, se rebelarem, exigindo um lugar na equipe titular.

Em vez de se concentrarem no torneio, os jogadores conversavam com empresários sobre transferências para o futebol europeu. O próprio Lazaroni definia sua ida para a Fiorentina em plena disputa do Mundial.

Depois de outra vitória suada, 1 a 0 sobre a fraca seleção da Escócia, o Brasil bateu de frente com seu maior rival nas oitavas de final. Diante da Argentina, fez seu melhor jogo em todo o campeonato. Criou chances de gol, acertou a trave três vezes e marcou bem. Entretanto, no único lance em que teve liberdade, Maradona deixou Caniggia livre para fazer o gol da vitória.

A derrota precoce, mas merecida, mostrou ao Brasil que era preciso mais do que tradição e bons jogadores para conquistar um título mundial. O tempo provaria, quatro anos mais tarde, que a seleção de 1990 tinha um elenco talentoso, mas mal preparado, sem organização e dominado por vaidades pessoais. (Fonte: uol.com.br)


.:: Brasil, 9º Colocado ::.

Em pé: Taffarel, Jorginho, Mauro Galvão, Mozer, Ricardo Gomes e Branco;
Agachados: Müller, Alemão, Careca, Dunfa e Valdo. Tec: Sebastião Lazaroni
Crédito: www.footimages.wordpress.com
Elenco da Seleção Brasileira na Copa do Mundo
Nome do Atleta Clube J G P
01 GO Cláudio André Mergen TAFFAREL SC Internacional (RS) 4 2 1
02 LD Jorge de Amorim Campos “JORGINHO” B. Leberkusen (ALE) 4 0 1
03 ZA RICARDO GOMES Raimundo SL Benfica (POR) 4 0 1
04 ZA Carlos Caetano Bledorn Verri “DUNGA” AC Fiorentina (ITA) 4 0 1
05 MV Ricardo Rogério de Brito “ALEMÃO” SSC Napoli (ITA) 4 0 2
06 LE Cláudio Ibrahim Vaz Leal “BRANCO” FC Porto (POR) 4 0 2
07 MA BISMARCK Barreto Faria CR Vasco da Gama (RJ) 0 0 1
08 MC VALDO Cândido Filho SL Brnfica (POR) 4 0 2
09 AT Antônio de Oliveira Filho “CARECA” SSC Napoli (ITA) 4 2 2
10 MC Paulo SILAS do Prado Pereira Sporting (POR) 3 0 2
11 AT ROMÁRIO de Souza Faria PSV Eindhoven (HOL) 1 0 1
12 GO ACÁCIO Cordeiro Barreto CR Vasco da Gama (RJ) 0 0 1
13 ZA José Carlos Nepomuceno MOZER Olympique Marseille (FRA) 2 0 1
14 ZA ALDAIR Nascimento dos Santos SL Benfica (POR) 0 0 1
15 AT Luis Antônio da Costa “MÜLLER” Torino Calcio (ITA) 4 1 2
16 AT José Roberto Gama de Oliveira “BEBETO” CR Vasco da Gama (RJ) 1 0 1
17 AT RENATO Portaluppi “GAÚCHO” CR Flamengo (RJ) 1 0 1
18 LE Iomar do Nascimento “MAZINHO” CR Vasco da Gama (RJ) 0 0 1
19 AT RICARDO Roberto Barreto da ROCHA São Paulo FC (SP) 2 0 1
20 AT Milton Queiroz da Paixão “TITA” CR Vasco da Gama (RJ) 0 0 1
21 ZA MAURO Geraldo GALVÃO Botafogo FR (RJ) 4 0 2
22 GO José “ZÉ” CARLOS da Costa Araújo CR Flamengo (RJ) 0 0 1
Técnico: Sebastião Barroso Lazaroni Sebastião Lazaroni 4 Jogos
# Capitão da Seleção Brasileira na Copa: Ricardo Gomes.
# Página Oficial da FIFA: www.fifa.com/worldcup/teams/brazil
# Referência: wikipedia.org/1990-word-cup/squad

.:: Campanha Brasileira ::.

Primeira Fase – Grupo C – 1ª Rodada
10/06/1990, 16:00 hs – Stadio Delle Alpi, em Turin – 62,628 pag
Brasil 2 x 1 Suécia
Careca, 40′
Careca, 63′
Jogo 1 Tomas Brolin, 79′
Primeira Fase – Grupo C – 2ª Rodada
16/06/1990, 12:00 hs – Stadio Delle Alpi, em Turin – 58,007 pag
Brasil 1 x 0 Cista Rica
Müller, 33′ Jogo 2
Primeira Fase – 3ª Rodada
20/06/1990, 16:00 hs – Stadio Delle Alpi, em Turin – 62,502 pag
Brasil 1 x 0 Escocia
Müller, 82′ Jogo 3
Oitavas as de Final
24/06/1990, 12:00 hs – Stadio Delle Alpi, em Turin – 61,381 pag
Brasil 0 x 1 Argentina
Jogo 4 Claudio Caniggia, 80′
# Para acessar as escalações das equipes, por favor, clique na palavra JOGO.

.:: Os Jogadores – The Players ::.

Elenco da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1986


.:: 13ª Copa do Mundo, México 1986 ::.

A Copa do Mundo FIFA de 1986 foi a 13ª Copa do Mundo disputada, e contou com a participação de 24 países divididos em seis grupos de quatro. De cada grupo os 2 primeiros colocados se classificavam diretamente para as Oitavas de Final. Para completar as 16 seleções classificadas, os 4 terceiros colocados de melhor campanha conquistavam a vaga por índice técnico. No total 113 países participaram das eliminatórias.

A Copa de 1986 seria disputada na Colômbia. Porém, os graves problemas econômicos deste país impediram os colombianos de serem os anfitriões do torneio. A FIFA ofereceu a Copa para o Brasil, os Estados Unidos e o Canadá em 1982, mas os governos destes três países recusaram. Então a Copa foi aceita pelo México, que foi escolhido em 1983 para sediar o mundial mais uma vez. Nem mesmo os terremotos um ano antes do mundial colocaram em risco a realização da copa.

O Brasil, cabeça de chave do Grupo “D”, novamente comandado por Telê Santana, fez uma estreia dura contra a seleção espanhola. A seleção canarinho, com o time muito modificado em relação ao “onze de 82”, tinha contudo uma defesa mais consistente. Zico, gravemente contundido só entrava no decorrer das partidas. Júnior foi deslocado para compor o meio campo com Sócrates. Nomes como Éder, Toninho Cerezo,Renato Gaúcho e Leandro não foram ao Mundial, por motivos que foram da indisciplina à deficiência técnica. O Brasil venceu a estréia por 1 x 0, em um jogo que deveria ter terminado em empate, pois um gol de Michel foi anulado injustamente pelo juiz. A bola bateu no travessão e após a linha do gol, mas ao contrário da final de 66, o juiz não validou o gol. O Brasil teve 100% de aproveitamento ao vencer por 1 x 0 a Argélia e por 3 x 0 a Irlanda do Norte. O destaque da seleção foi o desconhecido Josimar, lateral direito que foi convocado às pressas para a Copa no lugar de Leandro que desistiu no embarque. Com dois golaços, foi considerado o melhor jogador do mundial na posição. A “Fúria” venceu por 2 x 1 a Irlanda do Norte e por 3 x 0 a Argélia ficando com o segundo posto. Não houve classificado por índice técnico. (Fonte: wikipedia.org)

Eliminado nas Penalidades

A participação brasileira na Copa do Mundo de 1986 já estava tumultuada muito antes de a bola rolar no México. O fim do mandato de Giulite Coutinho na presidência da CBF deixou os dirigentes mais preocupados com a disputa eleitoral do que com a preparação da seleção.

Pouco antes das eliminatórias, o técnico Evaristo de Macedo foi substituído por Telê Santana. Antes do embarque, a seleção enfrentou o corte do atacante Renato Gaúcho, afastado do grupo por indisciplina. Em solidariedade ao colega, o lateral Leandro não apareceu no aeroporto.

No desembarque no México, a situação não melhorou. Sem organização, o Brasil não tinha nem campo para treinar. Realizou parte da preparação final em campos emprestados. Além disso, Telê Santana tinha vários jogadores machucados na delegação.

Zico fazia tratamento intensivo e um esforço tremendo para se recuperar a tempo de jogar. Júnior e Sócrates também não estavam em suas melhores condições físicas. A estreia contra a Espanha foi difícil. Com um futebol aquém da expectativa, o Brasil só venceu por 1 a 0 graças ao árbitro australiano Cristopher Bambridge, que invalidou um gol legítimo do espanhol Michel quando o jogo estava empatado.

Contra a Argélia, outra atuação que deixou a desejar: 1 a 0, com gol de Careca. Depois desse jogo, Casagrande, Alemão e Édson foram flagrados bebendo cerveja durante a apresentação de um circo. O episódio ocupou manchetes dos principais jornais e afetou o clima na seleção brasileira.

Na terceira rodada, diante da Irlanda do Norte, Telê Santana escalou o lateral Josimar, convocado às pressas para o lugar de Leandro. Ele entrou, deu conta do recado e até marcou um dos gols na vitória por 3 a 0. Careca fez os outros dois.

Nas oitavas de final, a seleção brasileira jogou sua melhor partida. Com tranquilidade, goleou a Polônia por 4 a 0, mesmo depois de levar um susto com uma bola na trave. Josimar teve outra boa atuação e marcou um belo gol. Careca, Sócrates e Edinho completaram.

Quando parecia que o Brasil estava embalando, os franceses, então campeões europeus, apareceram no caminho. Careca abriu o placar aos 18min de jogo, mas Platini empatou ainda no primeiro tempo. Na segunda etapa, o Brasil teve a chance de vencer quando Branco foi derrubado na área pelo goleiro Bats.

Zico, que acabara de entrar no lugar do atacante Müller, apresentou-se para a cobrança. Ele bateu mal, e o goleiro francês defendeu. De grande estrela brasileira, Zico passou a vilão da derrota. A França acabou fazendo 4 a 3 na decisão por pênaltis. Em uma das cobranças francesas, a bola bateu na trave e nas costas do goleiro Carlos antes de entrar. Um tremendo azar.

Nem mesmo as cobranças desperdiçadas por Sócrates e Júlio César fizeram a torcida esquecer o erro de Zico, que carregou o fardo da eliminação em sua triste despedida das Copas do Mundo. (Fonte: uol.com.br)

.:: Brasil, 5º Colocado ::.
Uma das Formações da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1986.
Em pé: Sócrates, Josimar, Júlio César, Edinho, Branco e Carlos; Agachados: Muller, Júnior, Careca, Alemão e Elzo. Técnico: Telê Santana (Crédito: www.minasretro.com.br)
Elenco da Seleção Brasileira na Copa do Mundo
Nome Completo Alcunha Clube J G P
01 GO Carlos Roberto Gallo Carlos SC Corinthians (SP) 5 1 3
02 LD Édson Boaro Édson SC Corinthians (SP) 2 0 1
03 ZA José Oscar Bernardi Oscar São Paulo FC (SP) 0 0 3
04 ZA Édno Nazareth Filho Édinho Udinese Calcio (ITA) 5 1 3
05 MV Paulo Roberto Falcão Falcão São Paulo FC (SP) 2 0 2
06 LE Leovegildo Lins da Gama Júnior Júnior Torino FC (ITA) 5 0 2
07 AT Luis Antônio da Costa Müller São Paulo FC (SP) 5 0 1
08 CA Wálter Casagrande Júnior Casagrande SC Corinthians (SP) 3 0 1
09 CA Antônio de Oliveira Filho Careca São Paulo FC (SP) 5 4 1
10 MC Artur Antunes Coimbra Zico CR Flamengo (RJ) 2 0 3
11 PE Edivaldo Martins Fonseca Edivaldo Atlético Mineiro (MG) 0 0 1
12 GO Paulo Vítor Barbosa de Carvalho Paulo Vítor Fluminense FC (RJ) 0 0 1
13 LD Josimar Higino Pereira Josimar Botafogo FR (RJ) 3 2 1
14 ZA Júlio César da Silva Júlio César Guarani FC (SP) 5 0 1
15 MV Ricardo Rogério de Brito Alemão Botafogo FR (SP) 5 0 1
16 AT Mauro Geraldo Galvão Mauro Galvão SC Internacional (RS) 0 0 1
17 AT Cláudio Ibrahim Vaz Leal Branco Fluminense FC (RJ) 5 0 1
18 MC Sócrates Brasileiro Sampaio S.V.O. Sócrates CR Flamengo (RJ) 5 1 2
19 MV Elzo Aloísio Coelho Elzo Atlético Mineiro (MG) 5 0 1
20 MC Paulo Silas do Prado Pereira Silas São Paulo FC (SP) 2 0 1
21 ZA Valdo Cândido Filho Valdo Grêmio FBPA (RS) 0 0 1
22 GO Émerson Leão Leão SE Palmeiras (SP) 0 0 4
Técnico: Telê Santana da Silva Telê Santana Conf. Brasileira de Futebol
# Capitão da Seleção Brasileira: Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira;
# Página Oficial da FIFA: www.fifa.com/worldcup/teams/brazil
# Referência: wikipedia.org/1986-word-cup/squad

.:: Campanha Brasileira ::.

Primeira Fase – Grupo D – Primeira Rodada
1 de Junho de 1986, 12:00 hs – Estadio Jalisco, em Guadalajara – 35,748 pag
Espanha – Spain 0 x 1 Brasil – Brazil
Jogo 1 Sócrates, 62′ (cabeça)
Primeira Fase – Grupo D – Segunda Rodada
6 de Junho de 1986, 12:00 hs – Estadio Jalisco, em Guadalajara – 48,000 pag
Brasil – Brazil 1 x 0 Argélia – Algeria
Careca, 66′ Jogo 2
Primeira Fase – Grupo D – Terceira Rodada
12 de Junho de 1986, 12:00 hs – Estadio Jalisco, em Guadalajara – 51,000 pag
Irlanda do Norte – Northern Ireland 0 x 3 Brasil – Brazil
Jogo 3 Careca, 15′
Josimar, 42′
Careca, 87′
Oitavas as de Final
16 de Junho de 1986, 12:00 hs – Estadio Jalisco, em Guadalajara – 45,000 pag
Brasil – Brazil 4 x 0 Polônia – Poland
Jogo 4 Sócrates, 30′ (pen)
Josimar, 55′
Edinho, 79′
Careca, 83′ (pen)
Quartas de Final
21 de Junho de 1986, 12:00 hs – Estadio Jalisco, em Guadalajara – 65,000 pag
Brasil – Brazil 1 x 1 França – France
Careca, 17′
Pênaltis (3)
Sócrates (Defendeu)
Alemão (Gol)
Zico (Gol)
Branco (Gol)
Júlio César (Na Trave)
Jogo 5
3 x 4
0 x 1
1 x 2
2 x 3
3 x 3
3 x 4
Michel Platini, 40′
Pênaltis (4)
Yannick Stopyra (Gol)
Manuel Amoros (Gol)
Bruno Bellone (Gol)
Michel Platini (Pra Fora)
Luis Fernández (Gol)
# 21/06 o Brasil perdeu nas penalidades para a França por 4 x 3;
# Para acessar as escalações das equipes, por favor, clique na palavra JOGO.

.:: Os Jogadores – The Players ::.